iconeI.jpg
detective.png

Livros no Mundo Sherlockiano

Moriarty

     Anthony Horowitz, Record, 2015.

     Formato: Físico.

     A história se passa logo após a morte de Moriarty e SH nas cataratas de Reichenbach. Um detetive da agência Pinkerton chega à Europa vindo dos EUA. Ele se associa com um investigador britânico obcecado pelo método de SH na busca por um novo gênio do crime que está tomando conta do império de Moriarty. Eles buscam descobrir a sua identidade e a relação com a embaixada Americana, que parece cada vez mais forte. Com uma trama bastante complexa e um final surpreendente, o livro navega com rara maestria pela Londres suburbana e pelos meandros do poder político e do submundo. A presença da sombra de SH na Scotland Yard é um dos pontos mais interessantes da obra.

Arrowood

     Mick Finlay, Harper Colins, 2018.

     Formato: Kindle.

     Este livro apenas tangencia a questão da presença de SH no mundo vitoriano. Uma jovem dama procura Arrowood, que se considera o maior detetive inglês, melhor até mesmo que SH, apesar de reconhecer a fama do outro, para resolver o caso de um sequestro misterioso. Arrowood trabalha com um viés psicológico (o autor é professor de psicologia) e é mais ativo e brigão que SH. Seu assistente não tem nada de Watson. É mais participativo e a relação entre os dois é um dos pontos altos do livro. Diferente de SH, que se detém no problema, Arrowood é mais sentimental e sofre com os casos em que participa. A Londres aqui é mais suja e humana, repleta de interesses antagônicos entre a população, a polícia e os próprios criminosos. A abordagem de criar um detetive que viva na mesma cidade que SH e que possua métodos diferentes é ousada e interessante.

Os Mistérios de Enola Holmes: O Caso do Marquês Desaparecido

     Nancy Springer, BonoboTeen, 2010.

     Formato: Físico.

     Livro infanto-juvenil que narra as aventuras da irmã de SH e Mycroft. Aqui, a mãe dos três desaparece e Enola, filha mais nova, acaba seguindo para Londres para tentar desvendar o caso, pois seus irmãos mais velhos - já famosos - parecem se importar pouco com o caso. A autora apresenta uma personagem que utiliza o que ela chama de lógica feminina para resolver o caso, apresentando as falhas do pensamento puramente lógico e masculino dos irmãos. É uma abordagem interessante e o caso é bem construído. O único ponto estranho é a insistência na falta de interesse dos dois irmãos em resolver a questão. Afinal, por mais frios que eles pudessem ser, simplesmente ignorar o sequestro ou desaparecimento da mãe do principal detetive da época e de um dos principais funcionários do governo não faz muito sentido. O final da história apresenta a solução para o desaparecimento da mãe, do plot secundário do marquês e da fixação de Enola com uma nova identidade em Londres, onde ela vai permanecer como fugitiva dos irmãos, que desejam que ela siga para um internato para completar a sua educação. A série ainda possui mais cinco livros.